domingo, 21 de junho de 2009

Kopenhagen


Fundada em 1928, a Chocolates Kopenhagen oferece uma variedade de produtos que marcaram época e já seduziram três gerações de brasileiros, como Nhá Benta, bombons Cherry Brandy, Língua de Gato, Chumbinho e os famosos marzipãs.Com muita perseverança, David conquistou clientes para o produto e, em poucos anos, o casal fundou a primeira fábrica da Chocolates Kopenhagen, no bairro Itaim Bibi, com excelentes instalações e tecnologia mais avançada. Assim, a empresa passou a produzir também chocolates finos, bombons, balas, confeitos, biscoitos, além de ovos de Páscoa e panetones. A história da empresa no País começou com a chegada do casal de imigrantes Anna e David Kopenhagen. Anna trouxe da Letônia a receita de marzipã, confeito muito popular na Europa, mas até então desconhecido no BrasilMarzipã, era uma massa que tinha farinha, (ou polvilho) manteiga, amêndoa amarga, Tereza não tinha uma certeza total de toda a receita porque ela era feita numa seção, que ela não trabalhava. Sua seção era a de a de Cherry Brandy, que era o forte da Kopénhagem. Mas o que ela conseguiu saber a respeito, ai está relatado. Mas o inicio e do sucesso inicial se deve ao marzipã, apesar de o cherry brandy ter uma produção maior devido aos pedidos. O sucesso do chocolate da Kopenhagen era a fabricação do chocolate ao leite em que ela se aprimorou em colocar no ponto exato que o chocolate necessitava para ser aquela doçura e a fama do melhor chocolate, produzido no Brasil.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Chocolate na dieta

O chocolate pode ser uma fonte importante de nutrientes, energia e satisfação pessoal. Pouco a pouco, ele passa a fazer parte das dietas e tem uma boa vantagem sobre outros alimentos, pois reúne nutrientes, como cálcio, fosfato, ferro, carboidratos, fenóis e flavonóides.Recentemente, descobriu-se que os flavonóides são compostos químicos encontrados em certas frutas, vinhos, vegetais, chás, nozes, sementes e raízes, sendo que a maioria atua como antioxidantes, enquanto outros contêm propriedades antiinflamatórias. Outros estudos dão conta de que podem atuar como agentes que retardam ou previnem alguns tipos de câncer.Isso tudo faz parecer que comer chocolate é um ótimo negócio. No entanto, é preciso bom-senso para manter o chocolate na dieta e, mesmo assim, obter bons resultados na balança. Isso porque os chocolates ainda contêm muita gordura na composição. Sem controle, o aumento de peso pode causar diabetes, hipertensão, entre outras doenças.Por isso, é necessário tomar um certo cuidado e buscar os mais indicados, nesta ordem: chocolate meio-amargo, ao leite e branco. O meio-amargo é o que tem menos calorias. Da mesma forma, outras dicas para quem está de dieta também são importantes: consumir uma porção somente uma ou duas vezes por semana e preferir os chocolates em barra em vez dos recheados. Outra opção são os chocolates lights, que oferecem menos calorias. Não confunda com os diets, que devem ser evitados - são para pessoas com diabetes e, apesar de não conterem açúcares, possuem maior quantidade de gordura.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Chocolate x Cachorros


O chocolate pode ser mortal para os cachorros. Ele contêm um ingrediente chamado “Teobromina” que pode ser tóxico para o sistema nervoso central e para os músculos cardíacos do cão. A teobromina é semelhante à cafeína, e é tóxica para um cachorro quando ele ingere de 100 a 150 mg por quilograma de seu peso corporal.
Tipos diferentes de chocolate contêm quantidades diferentes de teobromina: embora fossem necessários 600 ml de leite achocolatado para matar um cachorro de nove quilos, uma quantidade de apenas 56 gramas de chocolate Baker's ou 170 gramas de chocolate amargo já seriam suficientes para levar esse mesmo cachorro desta para melhor. Não é difícil para um cachorro achar uma cesta cheia de ovos de Páscoa ou docinhos de chocolate e devorar meio quilo ou um quilo de uma vez só. Se estivermos falando de um cachorro pequeno, isso será letal.
O fato é que envenenamento por chocolate não é tão incomum quanto parece. Para um ser humano, a cafeína é tóxica em níveis de 150 miligramas por quilograma de peso corporal. O mesmo vale para cachorros! Assim, se você suspeitar que seu cão comeu uma quantidade excessiva de chocolate, é melhor procurar um veterinário

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Chocolate X Acne

Quem tem problemas de acne, não deve se privar de comer chocolate, já que não há qualquer comprovação científica de que sua ingestão pode piorar o aspecto da pele. Nutricionistas, no entanto, observam que algumas pessoas são mais sensíveis, de forma geral, e essa predisposição à acne é muito individual. A acne surge devido a alterações hormonais e ao stress, o Chocolate por si só não determina o seu aparecimento, mas comer alimentos gordurosos estimula a pele a tornar-se mais oleosa. Mas o ideal é que o consumo se limite a 50 gramas por dia, o correspondente a uma barrinha de chocolate, de preferência, ao leite ou misturado com frutas. Estudos têm demonstrado que o chocolate escuro, em especial o amargo, oferece potentes benefícios para a saúde, como o combate à hipertensão de intensidade média. Assim, o segredo está na forma como ele é ingerido. Isso porque as papilas gustativas precisam de tempo para detectar e experimentar as sensações. Afinal é na boca que o sabor, a temperatura e a textura dos alimentos são apreciados. Se for consumido rapidamente, será necessário comer mais e mais.



terça-feira, 16 de junho de 2009

Museu do Chocolate


O chocolate seduziu a Suíça há mais de um século, a ponto de tornar-se um de seus produtos de maior consumo e exportação. A paixão é tamanha que foi criado um museu do chocolate. Fundado pela empresa de chocolate Alprose, o museu localizado no Cantão do Ticino, já se tornou uma das maiores atrações turísticas da Suíça de expressão italiana. E o crescimento do fluxo de visitantes só tem continuado: de 210 mil em 1995 passou a cerca de 300 mil nos últimos anos. Ele recebe uma média de 270 mil pessoas por ano, de 1.000 a 1.500 por dia, aproximadamente. Muitos chegam em grupo, pois diariamente chegam uns dez ônibus, realçava, ainda em 2004, Paul Nussbaumer, diretor do museu, também denominado Choko Land (Chocolândia). Fundado em 1991 o museu com grandes painéis fotográficos e explicações escritas, narra principalmente a extraordinária história do fruto do cacaueiro, já apreciado na América pelos maias e astecas. Na região, as sementes de cacau eram e ainda são cultivadas, antes de ser exportadas para o fabrico do chocolate. A variedade dos objetos expostos mostra como o chocolate se tornou usual desde o início: como um rito era saboreado como bebida quente em taças de prata, provavelmente pelas famílias da burguesia. Chocolates finos eram presenteados em suntuosas confecções que, nas vitrines do museu, nos lembram velhos tempos, enquanto aprimorados selos recordam que a tradição de regalar-se com coelhos de chocolate na Páscoa é um costume antigo.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Podem me chamar, eu levo presente


Depois de um longo feriado há sempre históoooooooorias para contar. Hoje, tirei o dia para ouvi-lás, mas a história tinha que ser logo do que eu mais gosto de apreciar?! A culpada desse desabafo de agora foi Marília. Ciente da minha carência por convites para festas infantis minha amiga não atendeu minha súplica nem se comoveu com meu estado e foi a uma festinha no feriado e não trouxe um brigadeirinho para mim. Eu aguento! Mesmo assim te amo Marília. E falando em brigadeiro... O brigadeiro é um doce brasileiro criado na década de 1940, comum em todo o país e normalmente presente nas festas de anivesário, junto com o cajuzinho ebeijinho. Os ingredientes do brigadeiro são leite condensado, achocolatado em pó, manteiga e chocolate granulado para a cobertura. Pode ser feito tanto no fogão quanto no forno de microondas. O nome do doce é uma homenagem ao brigadeiro Eduardo Gomes. Nos anos de 1946 e 1950, o militar candidatou-se à presidência da república pela UND. Pelo físico avantajado e boa aparência, o candidato conquistou um grupo de fãs do Pacaembu, bairro de São Paulo, que organizaram festas para promover sua candidatura. Conta a história que, numa destas ocasiões, criaram esse doce. Como as festas dos correligionários e cabos eleitorais era muito disputada pela população, estes logo começaram a chamar os amigos para "irem comer o docinho do Brigadeiro". Com o tempo o nome de "brigadeiro" acabou sendo dado ao doce. Apesar do apoio recebido, a aleição foi ganha pelo então general Eurico Gaspar Dutra.

domingo, 14 de junho de 2009

Até as madeixas o adoram


Salões de beleza já aderiram a moda da escova de chocolate. A escova proporciona uma drenagem capilar à base de chocolate, hidratação e tira o volume. O procedimento é semelhante ao da escova progressiva, com a diferença que não tem formol na fórmula. Cabeleireiros explicam que o produto usado na escova de chocolate é formulado com queratina líquida, proteína da seda e matérias primas naturais, como o extrato de cacau e cafeína. O cacau e a cafeína são substâncias ricas em ácidos graxos, que fornecem emoliência e nutrição aos fios. Todas essas substâncias associadas ao tioglicolato de amônia, agem recuperando os estragos provocados por agentes naturais ou químicos, e ainda, alisam os fios. Em cada tipo de cabelo o efeito produzido pela escova é diferente.A escova de chocolate em cabelos muito crespos ou afros doma os fios e define os cachos. O tratamento também pode ser feito em cabelos com relaxamento. Em cabelos ondulados os fios ficam lisos. O efeito da escova de chocolate dura cerca de 60 dias. O tratamento leva cerca de duas horas para ser finalizado. Depois de feita a escova, é preciso ficar três dias sem lavar ou prender os cabelos para não retirar o produto dos fios e nem marcar. Para garantir o efeito liso ou dos fios e cachos domados,sugere que seja feita uma cauterização mensal.

sábado, 13 de junho de 2009

Entrevista do mês

Formado em Comunicação Social pela UFG, fotógrafo, chefe de cozinha e amante da boa comida e das inovações, Rimene Amaral começou como Assessor de Imprensa de órgãos públicos municipais e estaduais. Foi, também, Repórter de TV e colunista de Revistas. Hoje, Assessor de Imprensa atuante (Senado Federal, Prefeitura de Goiânia, Governo de Goiás, empresas, eventos e pessoal) Rimene se dedica a viagens e gastronomia. ‘’Sou um viajante inveterado e cozinheiro de plantão’’, afirma Rimene.

Chocollatra: Quando surgiu a iniciativa de unir jornalismo a gastronomia e fazer da profissão um apetitoso (ou não) prato?

Rimene: Na verdade, a paixão pela culinária surgiu antes. Aos seis anos de idade, quando usei um banquinho para cozinhar o primeiro prato: arroz com salsicha. Eu era - e ainda sou! - fascinado com a mistura de temperos, ervas, cheiros e sabores. Viajo pelo mundo para conhecer a cultura, mas me detenho mais à culinária. O jornalismo veio como outra paixão. E comunicação é o que não falta em um prato de comida. Nele, tem-se a informação da cultura, a informação do paladar, do cheiro. A comida é, juntamente com a religião e a música, as maiores identidades de um povo. Assim como os Maia, no México, que cultivavam o milho e as raízes e extraíam toda a base da sua alimentação, ao redor do mundo os povos também têm seus pratos, suas culturas, sua comunicação. Então, nada mais paralelo pra mim do que a gastronomia e o jornalismo.


Chocollatra: Como você avalia esse campo de atuação a nível regional, nacional e, se puder internacional?
Rimene: Crescendo vertiginosamente a cada dia! Cozinhar deixou de ser uma obrigação da dona de casa e passou a ser uma terapia, que abre as portas ao convívio familiar e de amigos. É mágica! Modificar as formas e texturas dos alimentos, dar sabor e provocar reações as mais diversas... Esse é o poder da alquimia de sabores! E por todas as partes do mundo isso acontece. Em Goiânia, até cinco anos atrás, falar em gastronomia era coisa chique e rara. Estudar gastronomia era coisa de quem não tinha uma obrigação definida. Hoje isso é muito diferente. A visão não apenas mudou, mas o mercado passou a exigir pessoas capacitadas que saibam fazer um prato que vai além do arroz, feijão, bife e batata frita - que, aliás, não é nada fácil de fazer. Em alguns países do leste europeu, cobra-se caro num prato com esses ingredientes. E não é qualquer um que consegue prepará-lo com maestria. No Brasil temos escolas de gastronomia espalhadas pelos quatro cantos. Chefes de cozinha disputadíssimos com cachês que beiram o inimaginável. Internacionalmente falando, temos nomes reconhecidos e respeitados, como o do "garoto" Jamie Oliver, que tem programa de TV, escola de gastronomia, restaurantes espalhados pela Europa e um nome que agrega valor a tudo que ele toca. Como Midas, essas pessoas que sabem preparar alimentos, sabem também que o retorno é garantido. É uma coisa de instinto, do tipo "quem me alimenta é meu amigo e merece meu respeito, minha gratidão e minha fidelidade".

Chocollatra: Qual a postura dos meios de comunicação diante desse jornalismo?
Rimene: A mesma como foi com o surgimento e a ascensão desse profissional. Quem falava ou escrevia sobre comida era visto com restrições. Hoje, já se sabe, falar sobre comida requer conhecimento, cultura. Além do mais, quem tem admiração pela arte de cozinhar - mesmo que não saiba na prática, mas apenas na teoria - tem mais paixão, mais sensibilidade, paciência e respeito. Cozinhar não é apenas um ato de jogar um alimento no fogo e mudar sua forma. É saber usar o sentimento, a paixão e a sensibilidade na quantidade certa, assim como os temperos!

Chocollatra: Qual a sua fonte de inspiração para fazer das palavras o prato do dia?
Rimene: Muita leitura, fotografia, televisão, livros, músicas, filmes, seriados... Conversas que parecem ser furadas, mas que nos final das contas rendem assuntos maravilhosos. Tudo isso é comunicação que acaba dando um retorno extraordinário para tudo que escrevo. Aliás, quem quiser, pode – e deve! – visitar meu blog: http://odonodotempo.blogspot.com . Ele foi criado, entre outras coisas, para escrever sobre gastronomia. Dentre os assuntos que escrevo periodicamente, a culinária faz parte desde os primeiros posts!

Chocolltra: Como você avalia as ''novas'' alternativas de comunicação (tecnologia)
, como por exemplo, os blogs, no seu trabalho?
Rimene: Extremamente fundamental. Dia desses conversava com uma amiga que dizia que o jornalismo hoje parece ser uma profissão mais bem vista. Eu acredito que isso se deve não à profissão em si, mas às várias formas de mostrar o que o jornalismo está atuante. Sem falar na agilidade – coisa importantíssima para quem detém a informação! Além do mais, quando não se tem espaço para mostrar aquilo que se quer, as vias alternativas, como sites e blogs acabam preenchendo essa lacuna (?). E pode acreditar: em pouco tempo, esse tipo de informação será o que há de mais importante para o jornalismo moderno.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Uma ruga a menos


O chocolate protege o organismo dos radicais livres que aceleram o envelhecimento das células, pois contém substâncias com função antioxidante. Ossos, dentes, nervos, músculos e o sistema imunológico também são beneficiados pela ingestão moderada de chocolate. O cacau tem poder antioxidante e essa substância combate os efeitos da idade e alguns cientistas garantem que ajudam a prevenir o câncer. A massa de cacau contém agentes antioxidantes que impedem o depósito de gordura na parede das artérias e diminuem a taxa do colesterol ruim (LDL) no sangue. O coração é beneficiado pela teobromina presente no chocolate que, por ser uma substância estimulante, age, não apenas no sistema nervoso central, mas também sobre o sistema muscular, favorecendo assim o funcionamento do coração. Mas como já abordado nos textos anteriores, apesar dos benefícios, no entanto, se consumido em grandes quantidades, o chocolate pode causar diarréia e ganho de peso. Afinal, ele é composto por carboidratos, gorduras e proteínas. Deve ser evitado por quem é obeso ou está em dieta.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Chocolate Tim Maia

Chocolate! Chocolate! Chocolate! Eu só quero chocolate. Só quero chocolate. Não adianta vir com guaraná. Prá mim é chocolate. O que eu quero beber... Não quero chá não quero café não quero coca-cola me liguei no chocolate. Só quero chocolate. Não adianta vir com guaraná. Prá mim é chocolate que eu quero beber...Chocolate! Chocolate! Chocolate!Chocolate! Chocolate! Chocolate!Eu só quero chocolate. Só quero chocolate. Não adianta vir com guaraná. Prá mim é chocolate o que eu quero beber... Não quero chá não quero café não quero coca-cola me liguei no chocolate.Eu me liguei! Só quero chocolate. Não adianta vir com guaraná. Prá mim é chocolate o que eu quero beber...Chocolate! Chocolate! Chocolate!-O Senhor aceita um cafezinho?-Não! Eu quero chocolate!

terça-feira, 9 de junho de 2009

Diabético também tem vez

Quem disse que diabético não pode se lambuzar de chocolate? O consumo de uma xícara de chocolate amargo enriquecido pode ajudar diabéticos a prevenir doenças cardíacas, segundo um estudo conduzido por cientistas alemães. O estudo, publicado na revista científica Journal of the American College of Cardiology, sugere que compostos conhecidos como flavonóides, presentes no cacau, principal ingrediente do chocolate, seriam os responsáveis pela ação benéfica da bebida. Para a pesquisa, os cientistas desenvolveram um chocolate enriquecido com flavonóides. Dez pacientes participaram do estudo, bebendo chocolate com alta concentração de flavonóides três vezes por dia. Foi verificado, através do exame da dilatação fluxo-mediada, que a dilatação das artérias aumentou imediatamente após ingerir a bebida. De acordo com os resultados da pesquisa, o consumo de chocolate – considerado um alimento a ser evitado por pacientes diabéticos – enriquecido com flavonóides, demonstrou ser eficaz na normalização das funções arteriais dos diabéticos, o que ajudaria a prevenir doenças cardíacas. Porém, ninguém pode esquecer que o chocolate é rico em açúcar e gordura, ou seja, aumenta muito a taxa de glicose no sangue e pode causar complicações para a saúde. Então se lambuze com moderação!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Solteira sim, sozinha nunca

Dia dos namorados chegando e você solteira? Don’t worry be happy! Aproveite esse momento para se cuidar de corpo e alma. Garanto que um dia na Cia de um bom chocolate trará a renovação de que você precisa para atrair desejosos olhares para você. Além do poder de nos enfeitiçar nosso paladar ele também faz magias estéticas.
A utilização do chocolate em tratamentos de beleza não é nova. Há cerca de 500 anos, o antigo povo Asteca já considerava a iguaria mais que um alimento. Segundo a lenda, o deus Quetzcoalt presenteava os homens com sementes de cacau e, por isso, o chocolate foi considerado um ingrediente sagrado com propriedades medicinais. Naquela época, a essência do cacau já era utilizada em banhos relaxantes, que podiam ser desfrutados apenas por pessoas mais próximas do rei. Hoje, é possível encontrar banhos de espuma, sabonete líquido, gomages, esfoliantes, máscaras, leites e emulsões hidratantes, tudo à base de chocolate, em lojas especializadas em produtos de beleza e clínicas de estética.

domingo, 7 de junho de 2009

Um grande aliado na TPM


A TPM é um conjunto de sintomas físicos e comportamentais que ocorrem na segunda metade do ciclo menstrual podendo ser tão severos que interferem significativamente na vida da mulher. Por exemplo:
Homem bem intencionado diz: ‘’Bom dia flor do dia’’!
Mulher na TPM diz: ‘’ Bom dia o #%*...!!!
Homem desiludido diz: Insensível, grossa.
Certo? Não. Nunca mais você, mulher, vai sofrer e fazer um pobre coração tão infeliz por causa da TPM. Um grupo de cientistas descobriu que, o chocolate e a cafeína estimulam em nosso corpo uma substância química chamada Feniletilamina. Essa substância, que atua como estimulante e antidepressivo similar, em composição e ação, à epineprina e anfetaminas existe em altos níveis no chocolate. Isso explica porque o chocolate tem características viciantes e de elevação do humor.
É muito provável, quase certo, de que a sensação de bem estar, quando comemos chocolate, esteja ligada a essa substância. Sem contar que ele possui nutrientes essências para a energia, bom humor e prevenção da insônia.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Chocolate: o coração pede



Um estudo apresentado em Amsterdã, na Holanda, durante um congresso da Sociedade Européia de Cardiologia concluiu que o chocolate é o mais novo aliado do coração. Substâncias presentes no cacau, os flavonóides, ajudam a combater a oxidação da circulação sanguínea, melhorando assim a saúde das artérias e do coração.Os flavonóides são encontrados também em vários tipos de frutas, mas estudos recentes mostram que o cacau está entre suas fontes mais ricas. Assim, um chocolate de boa qualidade apresenta capacidade anti-oxidante três vezes maior que a do alho e dos morangos. E melhor ainda se for chocolate orgânico. A produção de chocolate, a partir do cacau orgânico, está sendo desenvolvida em todo o mundo. Já existem marcas famosas de chocolate orgânico nas prateleiras de mercados da Europa e dos Estados Unidos e sua disponibilidade é uma ótima noticia para os amantes do chocolate. No Brasil a produção de cacau orgânico já é uma realidade na região sul da Bahia. Então, abuse e use com moderação, claro! Afinal, todo caso tem exceções e restrições médicas.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Origem


O nome chocolate vem do grego "Theobroma", que quer dizer "alimento dos deuses", nome dado por Carlos Linnaeus, um botânico sueco que conhecia a trajetória do chocolate através da história dos povos. E que trajetória! Por esse motivo vamos encurtar a história dessa obra prima pegando alguns atalhos.

Quando Cristóvão Colombo chegou à América provou o chocolate e o levou para a Europa. O "tchocolath" não era a bebida agradável de hoje. Era bastante amarga e apimentada. Naquela época, o chocolate era reservado apenas aos governantes e soldados, pois acreditava - se que, além de possuir poderes afrodisíacos, ele dava força e vigor àqueles que o bebiam.

Mais tarde foi Cortez quem pisou naquelas terras e, sem dúvida, ficou muito impressionado com a mística que envolvia o chocolate e mais ainda com o seu uso corrente. Assim, com o intuito de enriquecer o cofrinho de seu país, ele estabelece uma plantação de cacau para o rei Carlos V, da Espanha. E, como bom negociante, começa a trocar as sementes de cacau por ouro, um metal indiferente àqueles povos. Os espanhóis aos poucos se acostumavam com o chocolate e, para atenuar o seu amargor, diminuíam a proporção de especiarias e o adoçavam com mel.

Rapidamente, o chocolate se espalha entre a família real e os nobres da corte espanhola. Na Espanha, as cozinhas dos mosteiros serviam como local de experiência para o aprimoramento do chocolate e a criação de novas receitas. Os monges aperfeiçoaram o sistema de torrefação e a moenda do chocolate, transformando-o em barras e tabletes para serem dissolvidos em água quente, como era apreciado nos salões aristocráticos.

Em 1657, surge em Londres a primeira loja de chocolate. Já em 1765, um médico, James Barker de Dorchester, se associa a um fabricante de chocolate recém-chegado da Irlanda, John Honnon, e funda a primeira fábrica de chocolate dos EUA: a Companhia Barker. Em 1819, François Louis Cailler abre a primeira fábrica de chocolates suíços. Sete anos depois, em 1826, Philipp Suchard começa a fazer chocolate misturado com avelãs moídas. Em 1875, Daniel Peter e Henri Nestlé inventaram o chocolate ao leite.

Infelizmente com o estouro da Primeira Guerra Mundial, determinando o fim da expansão das indústrias chocolateiras, restrições às exportações do produto são feitas. Só em 1945, fim da segunda guerra e com ela as barreiras ao desenvolvimento das indústrias chocolateiras a lavoura cacaueira começa a se expandir na Bahia no século XVIII. A partir de 1954 instalam-se no Estado de São Paulo as primeiras plantações. Hoje, o Brasil ocupa a posição de sexto maior produtor mundial de cacau.