segunda-feira, 15 de junho de 2009

Podem me chamar, eu levo presente


Depois de um longo feriado há sempre históoooooooorias para contar. Hoje, tirei o dia para ouvi-lás, mas a história tinha que ser logo do que eu mais gosto de apreciar?! A culpada desse desabafo de agora foi Marília. Ciente da minha carência por convites para festas infantis minha amiga não atendeu minha súplica nem se comoveu com meu estado e foi a uma festinha no feriado e não trouxe um brigadeirinho para mim. Eu aguento! Mesmo assim te amo Marília. E falando em brigadeiro... O brigadeiro é um doce brasileiro criado na década de 1940, comum em todo o país e normalmente presente nas festas de anivesário, junto com o cajuzinho ebeijinho. Os ingredientes do brigadeiro são leite condensado, achocolatado em pó, manteiga e chocolate granulado para a cobertura. Pode ser feito tanto no fogão quanto no forno de microondas. O nome do doce é uma homenagem ao brigadeiro Eduardo Gomes. Nos anos de 1946 e 1950, o militar candidatou-se à presidência da república pela UND. Pelo físico avantajado e boa aparência, o candidato conquistou um grupo de fãs do Pacaembu, bairro de São Paulo, que organizaram festas para promover sua candidatura. Conta a história que, numa destas ocasiões, criaram esse doce. Como as festas dos correligionários e cabos eleitorais era muito disputada pela população, estes logo começaram a chamar os amigos para "irem comer o docinho do Brigadeiro". Com o tempo o nome de "brigadeiro" acabou sendo dado ao doce. Apesar do apoio recebido, a aleição foi ganha pelo então general Eurico Gaspar Dutra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário